• LEODIAS

A pergunta-chave: por que eu me drogo?

O papo de hoje pode ser que não sirva para você que está lendo e eé adicto como eu. Pode ser que você ache a maior baboseira do mundo. E eu te entendo, porque isso vai de cada um. Mas, vamos lá, vou contar a história. Essa semana, uma moça que faz mestrado em Astrologisa nop\ EUA pediu para fazer o meu mapa astral. O resultado me deixou em estado de choque. FOI UM RAIO X DE QUEM EU SOU. E, principalmente, tocou num tema que é a grande resposta de todo mundo que luta contra a adicção: por que eu me drogo? Segundo o mapa, a grande questão da minha vida é a minha parte sentimental: há um enorme medo de sofrer e viver um amor gera em mim um enorme sentimento de vulnerabilidade. E o mapa está certo. Esta, então, seria, segundo o mapa, a razão para a minha busca pela droga. Para eu “anestesiar” os meus sentimentos. Se é verdade? Não sei. Acho que sim. Mas a questão que eu quero tratar aqui com vocês é que me trouxe uma resposta “lógica” para uma dúvida que me atormentava a vida toda. Vocês me entendem? Respeito você totalmente se você estiver achando esse papo a maior besteira que eu já escrevi. Te entendo, Te aceito. O que eu quero dizer é que se cada um descobrir a razão pela qual procura o vício pode ajudar a descobrir a saída para ele. Mesmo que a resposta venha através de um mapa astral. Entende? A dica de hoje é: busque dentro de você a resposta que pode começar a mudar a sua vida: por que eu procuro, repetidas vezes, por algo que, no fim das contas, me faz mal? Porque eu tenho essa questão auto-destrutiva dentro de mim? Saber a razão pode ajudar a encontrar a solução. O mapa astral me ajudou, mas pode não servir para você. Talvez a sua saída esteja numa conversa franca com o padre da sua paróquia, ou com o pastor da sua igreja ou com o babalorixá do terreiro que você frequenta. Isso é o que menos importa. O importante é que a resposta venha. A gente precisa dela. A busca pela droga não é falta de caráter, falta de ética e nem o simples fato de busca pelo proibido. É muito mais que isso. Então, tente aprofundar esse papo dentro de você. Vai fundo.



3,131 visualizações4 comentários